quarta-feira, 13 de abril de 2011

F(r)esta



Como passará, 
Este dia assim,
Azul celeste,
Sul, prece,
Notável de construção em nuvem.
Enluará, em luar
Sol, soma
fogo e cinzas;
Força dos corpos,
Entreolhares,
Entrearbustos,
Pelas casas e pelo campo,
Na anatomia dos seres:
eu espero.
Categórico, beije-me.
Beija esta boca que é tua sim.


Passou, este dia
assim azul sem prece.
Só pedi em linhas retas
e versos simples,
O eu-você,
Em mim.
Feche os olhos e vamos leve embora.

4 comentários:

  1. Eu tava rindo até agora do jeito que isso flui facilmente da minha-nossa vida pra cá. Tudo real, tudo tátil. Perfeito

    ResponderExcluir
  2. escreve muito bem meu caro ...
    parabéns !

    ResponderExcluir